Questões de História Geral - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|

 

Questões História Geral

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Antiguidade Oriental
pergunta:Na Antigüidade, durante o reinado de Ciro I (559-529 a. C.), os persas construíram um vasto império e governaram diferentes povos, adotando uma política que respeitava as diferenças culturais e religiosas. Esse modo de proceder está exemplificado no fato de
a) incorporarem a cultura sumeriana, especialmente os registros da nova língua semítica em caracteres cuneiformes.
b) arregimentarem entre os caldeus, após a conquista da Babilônia, os sátrapas, administradores encarregados das províncias imperiais.
c) libertarem os judeus cativos na Babilônia, que retornaram à Palestina e reconstruíram o templo de Salomão e o culto a Iavé.
d) difundirem no Egito o culto de Ahura-Mazda, que, integrando-se às idéias religiosas egípcias, deu origem ao maniqueísmo.



resposta:[C]

vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Antiguidade Clássica - Roma
pergunta:Acerca de Alexandre Magno (356-323 a. C.), o historiador inglês Arnold Toynbee comenta: Alexandre viveu o bastante para superar a estreita concepção de uma ascendência helênica sobre os não-helenos, em favor de um ideal maior da fraternidade da humanidade. Em seu contacto com os persas, reconheceu e admirou todas as virtudes que lhes permitiram governar uma parte do mundo por mais de duzentos anos, e passou a sonhar com um mundo governado em conjunto por persas e helenos. TOYNBEE, Arnold J. "Helenismo: história de uma civilização". Rio de Janeiro: Zahar, 1975. p. 118. Analisando-se a evolução histórica do período, pode-se afirmar que, em parte, o ideal de Alexandre realizou-se na medida em que suas conquistas
a) estimularam a retomada do despotismo oriental, que se somou às conquistas de liberdade e direitos que fundamentaram a democracia grega.
b) favoreceram a fusão entre as culturas dos povos asiáticos dominados e os valores gregos, originando a cultura helenística.
c) possibilitaram o domínio das províncias asiáticas pelos romanos, que difundiram a cultura helenística em toda a Europa ocidental.
d) expandiram os direitos de cidadania a todos os súditos, adotando a autonomia e as liberdades gregas como modelo de administração do Império.



resposta:[B]

vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Antiguidade Clássica - Grécia
pergunta:Sidônio Apolinário, aristocrata da Gália romana, escrevendo a um amigo, num período de grandes transformações culturais, assim se expressou: O vosso amigo Eminêncio, honrado senhor, entregou uma carta por vós ditada, admirável no estilo [...]. A língua romana foi há muito tempo banida da Bélgica e do Reno; mas se o seu esplendor sobreviveu de qualquer maneira, foi certamente convosco; a nossa jurisdição entrou em decadência ao longo da fronteira, mas enquanto viverdes e preservardes a vossa eloqüência, a língua latina permanecerá inabalável. Ao retribuir as vossas saudações o meu coração alegra-se dentro de mim por a nossa cultura em desaparição ter deixado tais traços em vós [...]. Apud PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. "História da Idade Média: textos e testemunhas". São Paulo: Editora UNESP, 2000. p. 42-43. A opinião contida no fragmento da carta está diretamente relacionada às
a) invasões dos territórios do Império Romano pelos povos germânicos, provocando mudanças nas instituições imperiais.
b) influências da cultura grega sobre a latina após a conquista da Grécia pelos romanos e sua anexação ao Império.
c) vitórias dos romanos sobre Cartago nas chamadas Guerras Púnicas (264-146 a. C.), impondo a cultura do Império a todo o norte da África.
d) crises que se abateram sobre o Império Romano depois do governo de Marco Aurélio (161-180 d. C.), quando o exército passou a controlar o poder.



resposta:[A]

vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Alta Idade Média
pergunta:A política expansionista dos árabes, durante os séculos VII e VIII d. C., possibilitou-lhes o contato cultural com diferentes civilizações. Com relação ao tratamento dado a essas civilizações, os árabes
a) estimulavam, nos territórios dominados, a diversificação dos costumes por meio da religião.
b) controlavam hábitos culturais e práticas religiosas dos povos de todas as regiões conquistadas.
c) respeitavam costumes e crenças das nações dominadas, permitindo-lhes manter sua identidade cultural.
d) promoviam intensa assimilação entre os povos dominados, por meio da cultura e da religião.



resposta:[C]

vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Baixa Idade Média
pergunta:Em 1095, um cronista, testemunha dos eventos do Concílio de Clermont, registrou o seguinte pronunciamento do papa Urbano II: Considerando as exigências do tempo presente, eu, Urbano, tendo, pela misericórdia de Deus, a tiara pontifical, pontífice de toda a Terra, venho até vós, servidores de Deus, como mensageiro para desvendar-vos o mandato divino [...] é urgente levar com diligência aos nossos irmãos do Oriente a ajuda prometida e tão necessária no momento presente. Foucher de Chartres. Apud PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. "História da Idade Média: textos e testemunhas". São Paulo: Ed. UNESP, 2000. p. 83. Essa declaração papal favoreceu
a) a aproximação entre cristãos latinos e gregos, que ficaram, depois das Cruzadas, sob o comando do papado romano.
b) um projeto de união da Cristandade contra os "infiéis", detentores dos Lugares Santos, que há séculos estavam sob o domínio muçulmano.
c) a desorganização da economia mercantil italiana, uma vez que as relações comerciais com o Oriente foram prejudicadas em razão do conflito com os "infiéis".
d) um enriquecimento da cultura muçulmana, que, por meio dos cruzados, recebeu a rica herança da ciência e da filosofia greco-romana.



resposta:[B]

vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Relações Históricas
pergunta:O historiador Georges Vigarello, analisando as práticas sociais européias à época do Renascimento, escreve: Quando os livros de saúde referem, no século XVI, por exemplo, certos odores corporais, evocam também a necessidade de os eliminar. Mas fricções e perfumes prevalecem, neste caso, sobre qualquer lavagem. É preciso friccionar a pele com um pano perfumado: "Para evitar o odor das axilas, que cheiram a bodum, é singular embeber e friccionar a pele com trocisco de rosas". Esfregar vivamente, espalhando perfume, mas não verdadeiramente lavar. Apud FARIA, Ricardo de Moura. "História". Belo Horizonte: Ed. Lê, 1995. v. 2. p. 41. Com base no texto acima e nas condições históricas do período, pode-se afirmar que
a) o costume comum de usar as essências de rosas e a água exigia a limpeza da pele e o uso da lavagem.
b) o hábito recorrente de limpar o corpo com panos e água servia para evitar gastos indevidos com perfumes e cheiros.
c) o costume dominante previa que o corpo poderia ficar limpo, independentemente da lavagem com água.
d) o hábito consagrado de lavar o corpo com água e perfumes possibilitava a completa absorção de odores agradáveis.



resposta:[C]

vestibular Ufrn-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Antiguidade Clássica - Roma
pergunta:Na Grécia Antiga, às vésperas da guerra entre Atenas e Esparta, dois personagens políticos rivais, um espartano e outro ateniense, referindo-se às motivações e intenções de suas respectivas cidades, assim se expressaram: Outros, com efeito, podem ter dinheiro em abundância e naus e cavalos, mas temos aliados valentes, que não devem ser entregues aos atenienses; votai, portanto, pela guerra, lacedemônios, como convém à dignidade de Esparta, e não permitais que Atenas se torne maior. Discurso de Stenelaídas - éforo espartano. Apud TUCÍDIDES. "A Guerra do Peloponeso". 3. ed. Brasília: Editora UnB, 1999. p. 54-55. Agora estes homens recém-chegados proclamam que devemos dar independência a todos os helenos. Nenhum de vós, porém, deve pensar que iremos entrar em guerra por motivos banais se nos recusarmos a revogar o decreto da cidade de Mégara [...]. Ide com a determinação de não ceder sob pretexto algum, grande ou pequeno e de não vivermos amedrontados por causa dos bens que possuímos. Discurso de Péricles - líder ateniense. Apud TUCÍDIDES. "A Guerra do Peloponeso". 3. ed. Brasília: Editora UnB, 1999. p. 78. Tomando como ponto de partida esses dois fragmentos de discursos proferidos no final do século V a. C., explique como Atenas chegou à situação de domínio quase total da comunidade helênica e estabeleça a relação existente entre democracia e imperialismo no mundo grego nesse período.



resposta:

vestibular Ufpel-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Pré-História
pergunta:

Analisando a linha do tempo, no período que vai do surgimento do homem até o desenvolvimento da agricultura, encontra-se a fase
a) Neolítica.
b) da invenção da escrita.
c) dos Metais.
d) da Antigüidade.
e) Paleolítica.


resposta:[E]

vestibular Ufpel-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Alta Idade Média
pergunta:

Este mapa se refere à:
a) centralização política, na fase inicial da Idade Moderna.
b) divisão do Império Romano, no final da Idade Antiga.
c) formação dos Estados Nacionais, no século XV.
d) Europa Ocidental, na Idade Antiga.
e) organização dos reinos francos, na Idade Média Ocidental.


resposta:[E]

vestibular Ufpel-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Baixa Idade Média
pergunta:TEXTO I "Deus quis que, entre os homens, uns fossem senhores e outros, servos, de tal maneira que os senhores estejam obrigados a venerar e amar a Deus, e que os servos estejam obrigados a amar e venerar o senhor..." St. Laud de Angers, Documents d Historie Vivante. In: FREITAS, Gustavo de. "900 textos e documentos de história". Vol. 1 Lisboa, Plátano, 1975. TEXTO II "Capítulos do projeto de concórdia entre os camponeses da Catalunha e seus senhores. [...] VIII - que o senhor não possa dormir a primeira noite com a mulher do camponês: Pretendem alguns senhores que, quando o camponês toma a mulher, o senhor há de dormir a primeira noite com ela, e, em sinal de senhorio, a noite em que o camponês deva contrair núpcias, a mulher, estando deitada, vem o senhor, sobe à cama, passando sobre a dita mulher e como isso é infrutuoso para o senhor e uma grande humilhação para o camponês, um mau exemplo e uma ocasião para o mal, pedem e suplicam que isso seja totalmente abolido". PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. "História: textos e testemunhas". São Paulo: UNESP, 2000. Os documentos se referem às práticas do
a) helenismo grego.
b) anglicanismo.
c) germanismo.
d) catolicismo medieval.
e) feudalismo europeu.



resposta:[E]

vestibular Ufpel-2005
tópico:História Geral

sub-grupo:Relações Históricas
pergunta:Observe a imagem:

A análise da charge remete
a) ao período da Guerra Fria, quando os imperialismos soviético e britânico, associados ao Pacto de Varsóvia e à OTAN, respectivamente, foram controlados pelas tropas de paz da ONU.
b) à invasão soviética na Ásia e à dominação inglesa sobre o norte da África, frente à inoperância da Liga das Nações.
c) aos conflitos do pós-Segunda Guerra Mundial, como a expansão dos comunistas na Hungria, dos ingleses no Egito, dos nazistas na Polônia e dos norte-americanos na Coréia.
d) à histórica impotência da ONU, cujo Conselho de Segurança é dominado por potências vencedoras da Segunda Guerra Mundial, com direito a veto na decisões da Assembléia Geral.
e) à atuação da Organização das Nações Unidas, na intermediação dos conflitos militares, como aquela que resultou no acordo de paz que pôs fim à Segunda Guerra Mundial.


resposta:[D]

vestibular Unicamp-2006
tópico:História Geral

sub-grupo:Relações Históricas
pergunta:"As estradas de ferro brasileiras nunca constituíram uma rede nacional. Mesmo durante seu tempo de (modesto) esplendor, resumiam-se a uma coleção de linhas de exportação de minerais e produtos agrícolas, que raramente tomavam a forma de uma rede regional, exceto, parcialmente, no Nordeste ou no Estado de São Paulo." (Théry Hervé e Neli Aparecida de Mello, Atlas do Brasil: disparidades e dinâmicas do território. São Paulo: EDUSP/Imprensa Oficial, 2005, p. 204 e 205.)


a) Por que a malha ferroviária no Brasil nunca constituiu uma rede nacional?
b) Há propostas recentes de retomada da construção de ferrovias, como se pode observar no mapa. Que razões explicariam essa retomada?
c) Cite uma razão para o adensamento da rede ferroviária no Estado de São Paulo.


resposta: