Banco de dados de questões sobre Segundo Reinado
questões de vestibulares
|

 

Questões Segundo Reinado

REF. Pergunta/Resposta
origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:"Naquela época não tinha maquinaria, meu pai trabalhava na enxada. Meu pai era de Módena, minha mãe era de Capri e ficaram muito tempo na roça. Depois a família veio morar nessa travessa da avenida Paulista; agora está tudo mudado, já não entendo nada dessas ruas". Esse trecho de um depoimento de um descendente de imigrante, transcrito na obra MEMÓRIA E SOCIEDADE, de Ecléa Bosi, constitui um documento importante para a análise
a) do processo de crescimento urbano paulista no início do século atual, que desencadeou crises constantes entre fazendeiros de café e industriais.
b) da imigração européia para o Brasil, organizada pelos fazendeiros de café nas primeiras décadas do século XX, baseada em contratos de trabalho conhecidos como "sistema de parceria".
c) da imigração italiana, caracterizada pela contratação de mão-de-obra estrangeira para a lavoura cafeeira, e do posterior processo de migração e de crescimento urbano de São Paulo.
d) do percurso migratório italiano promovido pelos governos italiano e paulista, que organizavam a transferência de trabalhadores rurais para o setor manufatureiro.
e) da crise na produção cafeeira da primeira década do século XX, que forçou os fazendeiros paulistas a desempregar milhares de imigrantes italianos, acelerando o processo de industrialização.




resposta:[C]

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Na segunda metade do século XIX, o Brasil passou por um processo de modernização, expresso por construções de ferrovias e avanços em outros setores da comunicação. Contudo, essa modernização não atingiu igualmente todo o território.
a) quais as áreas abrangidas por essas inovações tecnológicas?
b) explique um dos motivos da desigualdade regional no processo de modernização.




resposta:

origem:Unicamp
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Leia o poema abaixo e, a seguir, responda: "Itália, bela, mostre-se gentil e os filhos seus não a abandonarão, senão, vão todos para o Brasil, e não se lembrarão de retornar. Aqui mesmo ter-se-ia no que trabalhar sem ser preciso para a América emigrar... ...A todo momento se ouve dizer eu vou lá onde existe a colheita do café." (Citado em Zuleika Alvim, BRAVA GENTE! OS ITALIANOS EM SÃO PAULO, 1986)
a) Quais os motivos da vinda de imigrantes italianos para o Brasil sugeridos pelo poema?
b) Por que o sonho de "fazer a América" não se concretizou para muitos italianos?




resposta:

origem:Unicamp
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:As palavras a seguir foram ditas por um diplomata inglês, no século passado: "Nossas colônias não têm mais escravos. Por que outras áreas tropicais haverão de ter? Estamos montando negócios na África. Por que continuar com o tráfico negreiro, que tira nossa mão de obra de lá? Além disso, nem a servidão nem a escravidão cabem mais no mundo de hoje. Viva o trabalho assalariado! E que os salários sejam gastos na compra das nossas mercadorias."
a) De acordo com esse diplomata, que interesses teria a Inglaterra em acabar com o tráfico de escravos e com a escravidão?
b) No Brasil, que outros motivos levaram à abolição da escravidão?




resposta:a) A Inglaterra tinha o interesse no poder de compra, para consumir seus produtos manufaturados, que já dominava o mercado mas dependia de maiores vendas para crescer... A escravidão impossibilitava esse crescimento.
b) Os abolicionistas.

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:No século XIX, a imigração européia para o Brasil foi um processo ligado:
a) a uma política oficial e deliberada de povoamento, desejosa de fixar contingentes brancos em áreas estratégicas e atender grupos de proprietários na obtenção de mão-de-obra.
b) a uma política organizada pelos abolicionistas para substituir paulatinamente a mão-de-obra escrava das regiões cafeeiras e evitar a escravização em novas áreas de povoamento no sul do país.
c) às políticas militares, estabelecidas desde D. João VI, para a ocupação das fronteiras do sul e para a constituição de propriedades de criação de gado destinadas à exportação de charque.
d) à política do partido liberal para atrair novos grupos europeus para as áreas agrícolas e implantar um meio alternativo de produção, baseado em minifúndios.
e) à política oficial de povoamento baseada nos contratos de parceria como forma de estabelecer mão-de-obra assalariada nas áreas de agricultura de subsistência e de exportação.




resposta:[A]

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Há mais de um século, teve início no Brasil um processo de industrialização e crescimento urbano acelerado. Podemos identificar, como condições que favoreceram essas transformações:
a) a crise provocada pelo fim do tráfico de escravos que deu início à política de imigração e liberou capitais internacionais para a instalação de indústrias.
b) os lucros auferidos com a produção e a comercialização do café, que deram origem ao capital para a instalação de indústrias e importação de mão-de-obra estrangeira.
c) a crise da economia açucareira do nordeste que propiciou um intenso êxodo rural e a conseqüente aplicação de capitais no setor fabril em outras regiões brasileiras.
d) os capitais oriundos da exportação da borracha amazônica e da introdução de mão-de-obra assalariada nas áreas agrícolas cafeeiras.
e) a crise da economia agrícola cafeeira, com a abolição da escravatura, ocasionando a aplicação de capitais estrangeiros na produção fabril.




resposta:[B]

origem:Puc
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:"A enorme visibilidade do poder era sem dúvida em parte devida à própria monarquia com suas pompas, seus rituais, com o carisma da figura real. Mas era também fruto da centralização política do Estado. Havia quase unanimidade de opinião sobre o poder do Estado como sendo excessivo e opressor ou, pelo menos, inibidor da iniciativa pessoal, da liberdade individual. Mas (...) este poder era em boa parte ilusório. A burocracia do Estado era macrocefálica: tinha cabeça grande mas braços muito curtos. Agigantava-se na corte mas não alcançava as municipalidades e mal atingia as províncias. (...) Daí a observação de que, apesar de suas limitações no que se referia à formulação e implementação de políticas, o governo passava a imagem do todo-poderoso, era visto como o responsável por todo o bem e todo o mal do Império." Carvalho, J. Murilo de. TEATRO DE SOMBRAS. Rio de Janeiro, IUPERJ/ Vértice, 1988. O fragmento acima refere-se ao II Império brasileiro, controlado por D. Pedro II e ocorrido entre 1840 e 1889. Do ponto de vista político, o II Império pode ser representado como:
a) palco de enfrentamento entre liberais e conservadores que, partindo de princípios políticos e ideológicos opostos, questionaram, com igual violência, essa aparente centralização indicada na citação acima e se uniram no Golpe da Maioridade.
b) jogo de aparências, em que a atuação política do Imperador conheceu as mudanças e os momentos de indefinição acima referidos - refletindo as próprias oscilações e incertezas dos setores sociais hegemônicos -, como bem exemplificado na questão da Abolição.
c) cenário de várias revoltas de caráter regionalista - entre elas a Farroupilha e a Cabanagem - devido à incapacidade do governo imperial controlar, conforme mencionado na citação, as províncias e regiões mais distantes da capital.
d) universo de plena difusão das idéias liberais, o que implicou uma aceitação por parte do Imperador da diminuição de seus poderes, conformando a situação apontada na citação e oferecendo condições para a proclamação da República.
e) teatro para a plena manifestação do poder moderador que, desde a Constituição de 1824, permitia amplas possibilidades de intervenção políticas para o Imperador - daí a idéia de centralização da citação - e que foi usado, no Segundo Reinado, para encerrar os conflitos entre liberais e socialistas.




resposta:[B]

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Estados Unidos da América e Brasil aboliram a escravidão no século XIX. Compare os dois processos.



resposta:

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Sobre o fim da escravidão no Brasil, diferencie a ação do Estado da ação dos escravos e dos abolicionistas.



resposta:

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:I. A cessação do tráfico negreiro (1850) não provocou escassez de mão-de-obra para os fazendeiros das províncias do Norte, graças ao grande número de escravos adquiridos nos Estados Unidos. II. Uma das primeiras tentativas de implantação do trabalho livre, no Brasil, foi o sistema de parceria. III. A industrialização foi possível, entre outros fatores, pela acumulação de capital proveniente da economia cafeeira.



resposta:[D]

origem:Fuvest
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:"O regime da federação, baseado, portanto, na independência recíproca das províncias, elevando-se à categoria de Estados próprios, unicamente ligados pelo vínculo da mesma nacionalidade e da solidariedade dos grandes interesses da representação e da defesa exterior, é aquele que adotamos no nosso programa, como sendo o único capaz de manter a comunhão da família brasileira". Levando em conta as transformações ocorridas no Brasil durante a segunda metade do século XIX, justifique a idéia defendida neste trecho do MANIFESTO REPUBLICANO de 1870.



resposta:O Manifesto Republicano de 1870 defendiam a autonomia das províncias, com o ideário de derrubada da Monarquia e o estabelecimento da República no país.

origem:Unicamp
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:"Quando, na madrugada de 15 de novembro de 1889, uma revolta militar depôs Pedro II, ninguém veio em socorro do velho e doente imperador. A espada do Marechal Deodoro da Fonseca abria as portas da República para que por ela passassem os republicanos carregando um novo rei: o café de São Paulo." (Adaptado de I. R. Mattos, HISTÓRIA DO BRASIL IMPÉRIO)
a) De que maneira se explica o isolamento político de Pedro II?
b) Por que o texto afirma que, na República recém-proclamada, o café se tornava um "novo rei"?




resposta:a) O isolamento político de Pedro II deu-se porque o exército, o clero e a aristocracia deixaram de apoiá-lo, assim ele se isolou porque estava politicamente enfraquecido.
b) A expressão um "novo rei"refere-se a uma nova elite que surgira na proclamação da república, a oligarquia cafeeira.

 


Próxima Página »

Página 1 de 42