Banco de dados de questões do vestibular Uel
questões de vestibulares
|

 

Questões Uel

REF. Pergunta/Resposta
origem:Uel-2007
tópico:
Historia

sub-grupo:Renascimento

pergunta:O Humanismo renascentista que se destacou pelas suas inovações nas expressões artísticas e literárias representou:
a) O movimento cultural que valorizou o homem ativo e criativo.
b) O desenvolvimento técnico voltado para o mecenato na cultura renascentista.
c) A defesa das virtudes do homem contra os vícios intrínsecos à mulher.
d) O homem contemplativo, centro do universo, sujeito às leis divinas.
e) O movimento social com vistas à conquista de direitos.



resposta:
[A]

origem:Uel-2007
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:Sobre a expansão marítima ibérica da época dos descobrimentos, é correto afirmar que:
a) Ocorreu de maneira pacífica, com a colonização e povoamento das Américas.
b) Fundamentou a expansão do capitalismo mercantil, acompanhado pelas missões.
c) Acabou com o comércio mediterrânico, concentrando-se tão somente no Atlântico.
d) Fortaleceu as cidades-Estados italianas, tradicionais no comércio mercantil.
e) Concedeu cidadania aos súditos que emigrassem para as colônias de além-mar.



resposta:
[B]

origem:Uel-2007
tópico:
Brasil

sub-grupo:Era Vargas

pergunta:A política social, implementada durante a Era Vargas (1930-1945), legou-nos o ditado "Getúlio, pai dos pobres". Assim, é correto afirmar que:
a) O populismo favorecia a população com bolsas e isenções tarifárias.
b) O regime autoritário era promovido pelas elites em troca de favores políticos.
c) A política social favorecia a riqueza dos pais em detrimento das mães de família.
d) Vários direitos foram garantidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).
e) O governo proletário enfatizava o patriarcado nas famílias brasileiras.



resposta:
[D]

origem:Uel-2007
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:Leia o texto a seguir: "Desde os tempos de Heródoto e Tucídides, a história tem sido escrita sob variada forma de gêneros: crônica monástica, memória política, tratados de antiquário, e assim por diante. A forma dominante, porém, tem sido a narrativa dos acontecimentos políticos e militares, apresentada como a história dos grandes feitos de grandes - chefes militares, reis. Foi durante o Iluminismo que ocorreu, pela primeira vez, uma contestação a esse tipo de narrativa histórica." Fonte: BURKE, P. "A escola dos Annales 1929-1989: A revolução francesa da historiografia". Tradução de Nilo Odália. São Paulo: Unesp, 1991, p.18. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar:
a) A mudança do gênero de narrativa histórica, iniciada com o movimento Iluminista, questionará uma história dos grandes heróis.
b) A produção historiográfica dos gregos e romanos antigos foi deixada de lado pelos pensadores iluministas, pois a Revolução Francesa queimou, como na Inquisição, os textos heréticos.
c) Os monges buscaram perpetuar, por meio de suas crônicas monásticas, as realizações consagradas do cotidiano de Heródoto e Tucídides produzindo, assim, um gênero de escrita histórica.
d) A narrativa histórica foi revolucionada durante o Iluminismo pelos sábios laicos que buscavam, por meio de seus estudos, alcançar o sentido histórico-religioso da humanidade.
e) A história, entendida como um dos principais campos do conhecimento humano, esteve, durante o período antigo, despreocupada com a preservação da memória política dos reis.



resposta:
[A]

origem:Uel-2007
tópico:
Geral

sub-grupo:Relações Históricas

pergunta:Leia o texto a seguir: Ora se há coisa que se deve temer, depois de ofender a Deus, não quero dizer que não seja a morte. Não quero entrar em disputa com Sócrates e os acadêmicos; a morte não é má em si, a morte não deve ser temida. Digo que essa espécie de morte por naufrágio, ou então nada mais, é de ser temida. Pois, como diz a sentença de Homero, coisa triste, aborrecida e desnaturada é morrer no mar. Fonte: Adaptado de RABELAIS, F. "Gargântua e Pantagruel". 2. vols. Tradução de David Jardim Jr. BH/RJ, Vila Rica, 1991. Livro IV. Cap. XXI. Com base no texto é correto afirmar que:
a) A morte natural ou em terra era a coisa mais triste e aborrecida que a morte no mar.
b) A morte por naufrágio não era vista como uma morte desnaturada.
c) Os navegadores seguiam a sentença de Homero, ou seja, feliz daquele que encontra a sepultura nas águas marítimas.
d) O encontro com a morte no mar suscitava muito pavor.
e) A "boa morte" era aquela que ocorria no mar.



resposta:
[D]

origem:Uel-2007
tópico:
Geral

sub-grupo:Antiguidade Clássica - Grécia

pergunta:Leia o texto a seguir: "A crise desencadeada na sociedade romana pela transformação acelerada das estruturas sociais ocorrida após a segunda guerra púnica atingiu em meados do século II a.C. uma fase em que se tornava inevitável a eclosão de conflitos declarados. A agudização das contradições no seio da organização social romana, por um lado e, por outro, as fraquezas cada vez mais evidentes do sistema de governo republicano tiveram como resultado uma súbita eclosão das lutas sociais e políticas." Fonte: ALFOLDY, G. "A História Social de Roma". Tradução de Maria do Carmo Cary. Lisboa: Editorial Presença, 1989, p. 81. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir. I. Na revolta dos escravos, as frentes estavam bem definidas, pois tratava-se principalmente de uma luta dos escravos rurais contra os seus senhores e contra o Estado romano, que protegia estes últimos. Este período iniciou-se com a primeira revolta de escravos na Sicília e terminou com a revolta de Espártaco. II. As revoltas dos habitantes das províncias e dos itálicos podem ser consideradas movimentos de camadas sociais homogêneas. Os seus objetivos eram a luta pela libertação dos membros de uma camada social oprimida e não a libertação de comunidades, Estados ou povos outrora independentes da opressão do Estado romano. III. Um dos conflitos mais significativos tinha lugar entre os cidadãos romanos, divididos em grupos, com objetivos opostos. O objetivo primeiro de uma das facções, a dos políticos reformistas, era resolver os problemas sociais do proletariado de Roma; a ela se opunha a resistência da oligarquia, igualmente numerosa. IV. Nas últimas décadas da República, o objetivo primordial dos conflitos passou a ser a conquista do poder de Estado. A questão era saber se esse poder seria exercido por uma oligarquia ou por um único governante. A conseqüência última destes conflitos não foi a mudança da estrutura da sociedade romana, mas a alteração da forma de Estado por ela apoiada. A alternativa que contém todas as afirmativas corretas é:
a) I e II.
b) II e III.
c) III e IV.
d) I, II e III.
e) I, III e IV.



resposta:
[E]

origem:Uel-2007
tópico:
Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:Os principais produtos econômicos exportados pelo Brasil colônia do século XVIII foram:
a) Ouro, açúcar e madeira.
b) Açúcar, diamantes e erva-mate.
c) Madeira, ouro e gado.
d) Açúcar, madeira e erva-mate.
e) Diamantes, ouro e gado.



resposta:
[A]

origem:Uel-2007
tópico:
Geral

sub-grupo:Baixa Idade Média

pergunta:"Durante os séculos XI a XIII verificou-se nas atividades agrícolas e artesanais da Europa Centro-Ocidental um conjunto de transformações (...) que repercutiram no crescimento das trocas mercantis. Situa-se aí historicamente o chamado renascimento urbano medieval." Fonte: RODRIGUES, A. E.; FALCON, F. "A formação do mundo moderno". 2. ed. Rio de Janeiro: Elesevier, 2006, p.9. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que tais mudanças econômicas:
a) Caracterizaram-se pelo desenvolvimento das técnicas de produção e amplo emprego de recursos energéticos, tais como carvão e petróleo.
b) Implicaram no capitalismo mercantil incrementado pelo amplo comércio atlântico, fomentado por negociantes italianos e príncipes alemães.
c) Aumentaram a produção no campo e na cidade e fomentaram a circulação de bens e moedas, viabilizados por novos instrumentos de crédito a governantes e comerciantes.
d) Privatizaram as terras e introduziram um modelo de produção fabril, promovido pelo governo britânico.
e) Reforçaram o predomínio político e comercial dos senhores feudais sobre os governos citadinos.



resposta:
[C]

origem:Uel-2007
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:Jean Jaques Dessalines, um dos líderes da revolução do Haiti, declara: "Salvei a minha pátria. Vinguei a América... Nunca mais um colono europeu porá o pé neste território com o título de amo ou de proprietário." Fonte: DOZER, D. M. "América Latina: uma perspectiva histórica". Tradução de Leonel Zallandro. Porto Alegre; Editora Globo; São Paulo; Edusp, 1996. P.191, 192. Baseado nesta declaração e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que:
a) Após a independência, as rebeliões feitas pela população negra e mulata contra a exploração colonialista e os exércitos franceses deixaram de fazer parte do cotidiano da população haitiana.
b) Dessalines, como líder revolucionário, conseguiu promover a unidade territorial do Haiti, unindo a metade oriental da ilha com a parte ocidental, que continuava escravista.
c) A emancipação do Haiti deu-se em função das contradições sociais existentes nessa colônia e configurou-se num movimento de caráter político, econômico e social, visando estabelecer uma nova ordem sobre bases democráticas.
d) O Haiti emancipado foi dirigido por governantes democráticos, cujos princípios assemelhavamse aos da Revolução Francesa, como liberdade, igualdade e fraternidade.
e) Os negros e mulatos, mesmo sendo a maioria, não tiveram força suficiente para promover a emancipação em função da superioridade estratégica e armamentícia do exército francês.



resposta:
[C]

origem:Uel-2007
tópico:
Historia

sub-grupo:Independência dos Estados Unidos

pergunta:Leia o texto a seguir: "[...] A independência e a construção do novo regime republicano foi um projeto levado adiante pelas elites das colônias. Escravos, mulheres e pobres não são os líderes desse movimento. A independência norte-americana (EUA) é um fenômeno branco, predominantemente masculino e latifundiário ou comerciante. [...]" Fonte: KARNAL, L. "Estados Unidos: da colônia à independência". São Paulo: contexto, 1990. (coleção repensando a história). P. 67. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o processo de independência dos Estados Unidos, é correto afirmar que:
a) O movimento de independência da América do Norte não representou a união das treze colônias por um sentimento único de nação, mas sim, um movimento contra o domínio da Inglaterra, potencializado pelo sentimento antibritânico.
b) A América do Norte independente, com as reformas de caráter democrático, aboliu as diferenças entre os habitantes da colônia, instituindo a prática da inclusão por meio de uma Constituição Liberal.
c) A colonização da América do Norte pela Inglaterra diferenciou-se daquela feita na América do Sul pelos espanhóis e portugueses porque contou com a organização e assistência da metrópole nesse empreendimento de conquista e exploração.
d) A força do catolicismo foi preponderante no processo de emancipação, pois incentivava o crescimento espiritual da população, libertação dos escravos e a expansão territorial - crescimento que só seria possível cortando os laços com a metrópole.
e) Um dos problemas apresentados no período de lutas pela independência dos EUA foi a falta de um projeto comum entre as colônias do norte e as colônias do sul que não se harmonizavam quanto a um acordo na forma de promulgar a Constituição estadunidense do norte e do sul.



resposta:
[A]

origem:Uel-2007
tópico:
Historia

sub-grupo:Absolutismo

pergunta:A formação do Estado espanhol - constituído da aliança entre a monarquia, a nobreza fundiária e a Igreja Católica - implicou uma estrutura fundiária patrimonial com uma sociedade hierárquica e nobiliárquica. Sobre o tema é correto afirmar que:
a) A fragilidade da burguesia das cidades comerciais espanholas foi superada com a formação do Estado.
b) O Estado nacional espanhol, ao se constituir, deixou de lado os valores aristocráticos.
c) O setor religioso não teve importância na formação do Estado nacional espanhol.
d) A Monarquia Espanhola Católica foi o resultado de uma aliança marcada pelo predomínio de valores aristocráticos.
e) A nobreza fundiária estava desinteressada na constituição da Monarquia Espanhola.



resposta:
[D]

origem:Uel-2007
tópico:
America

sub-grupo:Período Colonial

pergunta:Leia o texto a seguir: "A causa pela qual os espanhóis destruíram tal infinidade de almas foi unicamente não terem outra finalidade última senão o ouro, para enriquecer em pouco tempo, subindo de um salto a posições que absolutamente não convinham a suas pessoas; enfim, não foi senão sua avareza que causou a perda desses povos, que por serem tão dóceis e tão benignos foram tão fáceis de subjugar; e quando os índios acreditaram encontrar algum acolhimento favorável entre esses bárbaros, viram-se tratados pior que animais e como se fossem menos ainda que o excremento das ruas; e assim morreram, sem Fé e sem Sacramentos, tantos milhões de pessoas.[...]." Fonte: LAS CASAS, B. de. "O paraíso destruído". Tradução de Heraldo Barbuy. Porto Alegre: L & PM, 1985. p. 30. Com base no texto, é correto afirmar:
a) Bartolomé de Las Casas voltou-se contra a Coroa Espanhola ao perceber que a conquista da América sufocaria as possibilidades de evangelização dos habitantes do novo continente.
b) No episódio da conquista da América, o Frei Dominicano Bartolomé de Las Casas ficou conhecido como defensor incondicional dos índios, ao ressaltar a crueldade dos conquistadores.
c) Os conquistadores da América hispânica e da portuguesa rechaçaram o discurso do Frei Las Casas por considerarem que seus pensamentos representavam os princípios da Igreja Católica, contrária à expansão territorial.
d) O Frei Dominicano defendeu a dignidade e a liberdade dos indígenas até sua morte, transformando-se, assim, em ícone do livre-arbítrio nas Américas de colonização espanhola, portuguesa e inglesa.
e) O discurso de Las Casas em defesa dos indígenas era uma das diversas estratégias de conquista, uma vez que ele representava nas colônias os interesses da Coroa Espanhola.



resposta:
[B]