Banco de dados de questões do vestibular Unifesp
questões de vestibulares
|

 

Questões Unifesp

REF. Pergunta/Resposta
origem:Unifesp-2004
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:O movimento revolucionário de 1848, que abalou, mas não destruiu, a ordem social vigente na Europa, pode ser caracterizado como um conflito no qual
a) a burguesia, ou frações desta classe, face ao perigo representado pelo proletariado, não tomou o poder.
b) o campesinato, em luta encarniçada contra a nobreza, abriu espaço para a burguesia tomar o poder.
c) a nobreza, diante da ameaça representada pela burguesia, fez concessões ao proletariado para se manter no poder.
d) o proletariado, embora fosse uma classe já madura e com experiência, ficou a reboque dos acontecimentos.
e) não houve luta de classes, e sim disputas derivadas das tensões e contradições existentes entre ricos e pobres.



resposta:
[A]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:Embora o terreno ideal do socialismo-comunismo tenha desmoronado, os problemas que ele pretendeu resolver permanecem: o uso descarado da vantagem social e o desordenado poder do dinheiro, que muitas vezes dirige o curso mesmo dos acontecimentos. E se a lição global do século XX não servir como uma vacina curativa, o imenso turbilhão vermelho pode repetir-se em sua totalidade. (A. Soljenitsin. The New York Times, 28.11.1993.) Do texto, depreende-se uma
a) crítica ao neoliberalismo e a crença na história como um campo aberto de possibilidades.
b) admiração pelo socialismo e a convicção de que o futuro histórico pertence ao comunismo.
c) hostilidade para com o socialismo e uma visão otimista quanto ao futuro do capitalismo.
d) incompreensão com relação ao capitalismo e ao socialismo e cegueira com relação ao futuro.
e) aceitação do capitalismo e a aceitação conformista da tese que sustenta o fim da história.



resposta:
[A]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:Entre os donatários das capitanias hereditárias (1531-1534), não havia nenhum representante da grande nobreza. Esta ausência indica que:
a) a nobreza portuguesa, ao contrário da espanhola, não teve perspicácia com relação às riquezas da América.
b) a Coroa portuguesa concedia à burguesia, e não à nobreza, os principais favores e privilégios.
c) no sistema criado para dar início ao povoamento do Brasil, não havia nenhum resquício de feudalismo.
d) na América portuguesa, ao contrário do que ocorreu na África e na Ásia, a Coroa foi mais democrática.
e) as possibilidades de bons negócios aqui eram menores do que em Portugal e em outros domínios da Coroa.



resposta:
[E]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:De acordo com um estudo recente, na Bahia, entre 1680 e 1797, de 160 filhas nascidas em 53 famílias de destaque, mais de 77% foram enviadas a conventos, 5% permaneceram solteiras e apenas 14 se casaram. Tendo em vista que, no período colonial, mesmo entre pessoas livres, a população masculina era maior que a feminina, esses dados sugerem que
a) os senhores-de-engenho não deixavam suas filhas casarem com pessoas de nível social e econômico inferior.
b) entre as mulheres ricas, a devoção religiosa era mais intensa e fervorosa do que entre as mulheres pobres.
c) os homens brancos preferiam manter sua liberdade sexual a se submeterem ao despotismo dos senhores-de-engenho.
d) a vida na colônia era tão insuportável para as mulheres que elas preferiam vestir o hábito de freiras na Metrópole.
e) a sociedade colonial se pautava por padrões morais que privilegiavam o sexo e a beleza e não o status e a riqueza.



resposta:
[A]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:Estima-se que, no fim do período colonial, cerca de 42% da população negra ou mulata era constituída por africanos ou afro-brasileiros livres ou libertos. Sobre esse expressivo contingente, é correto afirmar que
a) era o responsável pela criação de gado e pela indústria do couro destinada à exportação.
b) vivia, em sua maior parte, em quilombos, que tanto marcaram a paisagem social da época.
c) possuía todos os direitos, inclusive o de participar das Câmaras e das irmandades leigas.
d) tinha uma situação ambígua, pois não estava livre de recair, arbitrariamente, na escravidão.
e) formava a mão-de-obra livre assalariada nas pequenas propriedades que abasteciam as cidades.



resposta:
[D]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Brasil

sub-grupo:Primeiro Reinado

pergunta:Realizada a emancipação política em 1822, o Estado no Brasil
a) surgiu pronto e acabado, em razão da continuidade dinástica, ao contrário do que ocorreu com os demais países da América do Sul.
b) sofreu uma prolongada e difícil etapa de consolidação, tal como ocorreu com os demais países da América do Sul.
c) vivenciou, tal como ocorreu com o México, um longo período monárquico e uma curta ocupação estrangeira.
d) desconheceu, ao contrário do que ocorreu com os Estados Unidos, guerras externas e conflitos internos.
e) adquiriu um espírito interior republicano muitosemelhante ao argentino, apesar da forma exterior monárquica.



resposta:
[B]

origem:Unifesp-2004
tópico:
politica

sub-grupo:

pergunta:Nas escolas subsidiadas, ortodoxas, oficiais, esgota-se a potencialidade mental e sentimental dos vossos pequeninos, com a masturbação vergonhosa e constante de mentirosa solidariedade no trabalho, na expansão e nas calamidades pátrias (...) Não procureis a dor de ter contribuído para a miséria e a abjeção de vossos Filhos; arrancai-os ao ensino burguês! (Jornal O Amigo do Povo, 1904.) O texto revela a presença, no Brasil, do
a) liberalismo.
b) anarquismo.
c) comunismo.
d) positivismo.
e) fascismo.



resposta:
[B]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Brasil

sub-grupo:República Liberal

pergunta:É conhecida a tese segundo a qual o regime militar instaurado no Brasil a partir de abril de 1964 teve seu início adiado por dez anos em virtude do suicídio do presidente Getúlio Vargas, em agosto de 1954. Nesse decênio, de sobrevida da democracia populista, o país
a) amargou um descontrole inflacionário, que derrubou como nunca o poder de compra dos assalariados.
b) conheceu um de seus momentos culturais mais altos e criativos, como no campo da música.
c) sofreu uma permanente instabilidade política, marcada pelo revezamento de civis e militares no poder.
d) recebeu um grande afluxo de imigrantes externos, provenientes, sobretudo, do cone sul, por razões políticas.
e) passou de uma economia agrário-exportadora e industrial para uma economia agrário-exportadora e de serviços.



resposta:
[B]

origem:Unifesp-2004
tópico:
Geral

sub-grupo:Relações Históricas

pergunta:Recentemente, algumas personalidades pertencentes aos três campos do nosso espectro político (esquerda, centro e direita) têm comparado o momento atual vivido pelo país com o último ano do governo João Goulart. Sobre tal comparação, pode-se afirmar que, agora,
a) parece haver só uma política econômica possível, a imposta pelo FMI, ao passo que, em 1963, parecia haver três, a capitalista nacional, a associada e a socialista.
b) a reforma agrária constitui, como em 1963, uma necessidade tanto econômica, para aumentar a produção agrícola, quanto social, para diminuir a pobreza.
c) as reformas previdenciárias e tributárias visam, ao contrário das reformas de base de 1963, iniciar um efetivo processo de desconcentração da renda.
d) os movimentos sociais, tal como em 1963, guiados por partidos políticos radicalizados, estão provocando um clima de medo e insegurança.
e) a dívida externa e a recessão econômica, ao contrário do que ocorreu em 1963, não têm impedido o governo de aumentar o salário mínimo.



resposta:
[A]

origem:Unifesp-2005
tópico:
Geral

sub-grupo:Antiguidade Clássica - Roma

pergunta:"Em todas as grandes civilizações que precederam a civilização grega, e de que ela foi tributária (assírio-babilônica, egípcia, fenícia, cretense), não se tinha visto nada de comparável em termos de comportamento social e práticas institucionais". (Jean-Pierre Vernant, 1999.) O autor está se referindo
a) à escravidão.
b) ao politeísmo.
c) à política.
d) à ciência.
e) ao comércio.



resposta:
[C]

origem:Unifesp-2005
tópico:
Geral

sub-grupo:Alta Idade Média

pergunta:Terminada a Antigüidade, havia à disposição do Ocidente medieval duas concepções filosóficas fundamentais e distintas: a visão grega (resumida por Aristóteles) de que o homem foi formado para viver numa cidade, e a visão cristã (resumida por Santo Agostinho) de que o homem foi formado para viver em comunhão com Deus. Nos últimos séculos da Idade Média, com relação a essas duas filosofias, é correto afirmar que:
a) foram reconciliadas por São Tomás de Aquino ao unir razão (livre-arbítrio) com revelação (fé).
b) entraram em conflito e deram lugar a uma nova visão, elaborada por frades beneditinos e dominicanos.
c) continuou a prevalecer a visão grega, como se pode ver nos escritos de Abelardo a Heloísa.
d) sofreram um processo de adaptação para justificar a primazia do poder temporal ou secular.
e) passou a predominar a visão cristã, depois de uma longa hegemonia da visão grega.



resposta:
[A]

origem:Unifesp-2005
tópico:
Geral

sub-grupo:Baixa Idade Média

pergunta:Durante a Baixa Idade Média (séculos XI a XIV), o Ocidente importou, com regularidade e intensidade crescentes, especiarias de áreas e civilizações não cristãs. Essas mercadorias eram
a) adquiridas por meio de escambo (trocadas por quinquilharias) ou por roubo dos povos produtores, como na costa ocidental da África.
b) compradas com moedas nos portos do Mediterrâneo oriental, ou trocadas por tecidos de lã, provenientes de Flandres e das cidades do norte da Itália.
c) obtidas com exclusividade pelos bizantinos, os quais as revendiam, igualmente com exclusividade, aos mercados venezianos.
d) vendidas nos portos europeus pelos comerciantes árabes, depois de trazidas do Oriente por caravanas de camelos.
e) transportadas por navios de cabotagem, principalmente ibéricos, que as vendiam nos mercados da Europa do Norte.



resposta:
[B]