Banco de dados de questões do vestibular Uel-2005 - perguntas e respostas comentadas
questões de vestibulares
|

 

Questões Uel-2005

REF. Pergunta/Resposta
origem:Uel
tópico:
Geral

sub-grupo:Antiguidade Clássica - Roma

pergunta:Com o fim do domínio gentílico sobre a terra, os parentes mais próximos do pater apropriaram-se das terras mais ricas, passando a ser conhecidos como eupátridas (os bem nascidos). O restante da terra foi dividido entre os georgoi (agricultores); os mais prejudicados por esta divisão foram os thetas (marginais), excluídos da partilha. Os novos grupos sociais, a propriedade privada da terra e o surgimento dos demos marcaram o advento da pólis (cidade-estado) grega. Sobre a pólis grega, é correto afirmar:
a) Em razão da abundância de terras na pólis, os excedentes populacionais balcânicos continuaram a lutar por terras em torno da acrópole.
b) O poder ampliado do pater na administração da família e da casa enfraqueceu o individualismo, pois beneficiou igualmente filhos e parentes distantes na partilha dos bens.
c) Os georgoi produziram grandes riquezas em suas terras devido às boas colheitas e, com isso, despertaram a cobiça dos eupátridas.
d) Com a pólis, o urbano constituiu-se como a base da sociedade e seu elemento de união, e a cidade-estado passou a ser liderada por um conselho de eupátridas.
e) Os demiurgos tornaram-se o grupo social dominante em cada pólis, compartilhando o poder político com os eupátridas.



resposta:
[D]

origem:Uel
tópico:
Geral

sub-grupo:Baixa Idade Média

pergunta:As três heranças culturais que formaram a Idade Média - a romana, a germânica e a cristã - tinham preconceito em relação ao trabalho. Na sociedade escravocrata romana privilegiava-se a dedicação aos prazeres materiais e às "coisas do espírito" (poesia, filosofia, música); a sociedade germânica valorizava a riqueza obtida pela conquista; já o pensamento cristão identificava o trabalho ao resgate do pecado original. (Adaptado de: FRANCO JR., Hilário. "Cocanha". São Paulo: Companhia das Letras, 1998.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre o trabalho no medievo, considere as afirmativas a seguir. I. As obrigações dos camponeses variavam conforme a sua condição jurídica (livres, escravos ou servos), mas o século XI caracterizou-se pela servidão no Ocidente europeu, o que implicou em obrigações como a corvéia e o pagamento de várias taxas. II. O trabalho não era condizente com a formação da nobreza. Suas riquezas provinham da exploração dos patrimônios herdados, principalmente terras, e da pilhagem resultante dos conflitos militares. III. O movimento camponês da jacquerie pretendeu a abolição do trabalho, a liberdade de expressão nos assuntos políticos e religiosos e o estabelecimento de um governo comunal. IV. A partir do progresso agrícola entre os séculos XI e XII, a população, de modo geral, passou a se alimentar mais e melhor, o que possibilitou o crescimento demográfico e o sucessivo dinamismo comercial. V. A ascensão da burguesia, ao final da Idade Média, intensificou a rejeição ao trabalho, o que se evidencia no crescimento de movimentos anarquistas nos meios urbanos. Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I, II e III.
b) I, II e IV.
c) I, III e V.
d) II, IV e V.
e) III, IV e V.



resposta:
[B]

origem:Uel
tópico:
Historia

sub-grupo:Reforma Religiosa

pergunta:Analise a figura a seguir.

Com base na figura e nos conhecimentos sobre a Modernidade, é correto afirmar que a pintura:
a) Representa, com ironia, as disputas religiosas entre católicos e protestantes, desencadeadas pela Reforma Luterana.
b) Registra o descontentamento e a revolta dos camponeses germânicos com a opressão servil imposta pela Igreja Católica.
c) Apresenta, com realismo, os movimentos heréticos que contestavam a Igreja e pregavam o desapego aos bens materiais.
d) Representa a indignação dos intelectuais ligados à Igreja Católica, os quais, sob a influência do Humanismo, acusavam o alto clero de práticas imorais.
e) Registra uma cena cotidiana de atividades industriais realizadas no centro dos pequenos burgos europeus em crescimento.


resposta:
[A]

origem:Uel
tópico:
America

sub-grupo:Período Colonial

pergunta:"Se, às vezes, estranhas famílias desembarcam - como uma pobre mulher de Granada, com um filho e quatro filhas das quais uma vai cair nos braços de Hernán Cortés -, aqueles que chegam são, em sua maioria, homens sós, solteiros ou casados que deixaram mulher, amante e filhos na Espanha. Como a astúcia e a teimosia, a juventude e a mobilidade dão a quem sobreviver e enriquecer atributos indispensáveis. Las Casas está com dezoito anos, Bernal Díaz e Cortés com dezenove, quando atravessam o Atlântico. O futuro conquistador do México responde a um amigo que propõe que permaneça na Hispaniola e que aceite ficar lá por pelo menos cinco anos para aproveitar dos privilégios reservados aos residentes (vecinos): Nem nesta ilha, nem em nenhuma outra, não tenho a intenção nem o pensamento de ficar por muito tempo; é por isto que não ficarei aqui nestas condições ". (GRUZINSKI, Serge; BERNARD, Carmen. "História do Novo Mundo". Trad. Cristina Murachco. São Paulo: EDUSP, 1997. p. 294.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre a Conquista e a Colonização da América, considere as afirmativas a seguir. I. Os conquistadores, na sua maioria, eram filhos caçulas de famílias de média, pequena e bem pequena nobreza que conheceram em suas casas o modo de vida aristocrata, com as ambições que a terra de Espanha não podia mais alimentar. II. As vilas, muitas vezes miseráveis, que deveriam reter e fixar os recém-chegados, revelaram-se lugar de descanso provisório até que conseguissem, em outro lugar, um destino melhor, índios e ouro. III. Os casamentos de espanhóis com mulheres indígenas acrescentaram às sociedades americanas elementos estáveis e integradores, suficientes para constituir o núcleo de um mundo futuro. IV. Naquela fronteira americana do mundo ocidental, os conquistadores organizaram suas vidas de maneira estável, fixando suas famílias e cultivando a terra para a produção de especiarias exportáveis. Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e II.
b) I e III.
c) III e IV.
d) I, II e IV.
e) II, III e IV.



resposta:
[A]

origem:Uel
tópico:
America

sub-grupo:Período Colonial

pergunta:"É bem verdade que outros colonizadores europeus estavam também ocupando espaços, mas impressiona no caso da América inglesa, a velocidade assim como a variedade das formas de ocupação e de atividades econômicas. Impressiona também a convicção de um direito divino, assim como de uma missão especial desse povo na América. Essa crença na própria excepcionalidade resultava de uma tradição religiosa (puritana) que realçava a realização da virtude individual, assim como de uma tradição republicana que fundava as instituições políticas na ação e na vontade de homens livres." (MOURA, Gerson. "Estados Unidos e América Latina". São Paulo: Contexto, 1991. p. 11.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre a colonização das Américas anglo-saxônica, portuguesa e hispânica, é correto afirmar:
a) As colonizações das Américas estiveram fortemente marcadas por uma cultura urbana, sendo que, desde o início, a penetração rumo ao interior e a fundação de cidades, com suas instituições políticas, foram os aspectos que as aproximaram.
b) A colonização da América anglo-saxônica recebeu famílias camponesas pobres endividadas, burguesas ou nobres, vítimas de perseguições político-religiosas; no entanto, em ambos os casos, colonizar foi sinônimo de dominação econômica, política e religiosa.
c) As concepções políticas e religiosas semelhantes nas colonizações das Américas foram decisivas para estruturar modelos de desenvolvimento similares, de valorização das capacidades individuais.
d) Na América hispânica e portuguesa, a adoção da escravidão negra e do catolicismo subverteu o modo de colonizar ibérico e explica os eficientes processos de emancipação política nos diferentes países latino-americanos.
e) Ao contrário dos povos que colonizaram a América anglo-saxônica, aqueles que colonizaram as Américas hispânica e portuguesa foram incapazes de desenvolvê-las economicamente, em razão das disposições naturais adversas nelas encontradas, a exemplo do clima e das condições geográficas.



resposta:
[B]

origem:Uel
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:"A independência política e a formação dos Estados Nacionais na América Latina ocorreram a partir do rompimento do Sistema Colonial e foram dirigidos por setores dominantes da Colônia descontentes com a impossibilidade de usufruir as ‘novas vantagens" que o capitalismo do novo século lhes oferecia. Portanto, essas características peculiares distanciam o processo latino-americano do processo pelo qual a Europa passou." (PRADO, Maria Lígia Coelho. "A formação das nações latino-americanas. São Paulo: Atual, 1994. p. 2.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre a formação das nações latino-americanas, é correto afirmar:
a) Na América Latina, a premissa básica para a formação dos Estados Nacionais foi o consenso a respeito da necessidade de um poder monárquico que ordenasse a vida política de cada um dos jovens países.
b) As nações latino-americanas foram o resultado de concepções político-econômicas e de elementos culturais, tais como a língua e a religião, herdados da Espanha e de Portugal.
c) A América Latina passou pelo mesmo processo de espoliação que a Europa viveu durante o século XV, quando das invasões bárbaras, no entanto rompeu os vínculos econômicos da época colonial.
d) Os Estados Nacionais da América Latina constituíram-se pela atuação política da burguesia local, enquanto classe dominante, em oposição à doutrina liberal européia e norte-americana.
e) A formação das nações latino-americanas consolidou-se pelo desenvolvimento tecnológico e econômico capitalista, voltado para o mercado externo, que destruiu a economia rural tradicional.



resposta:
[B]

origem:Uel
tópico:
Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:Leia os documentos a seguir. "Sua Sagrada Majestade El-Rei de Portugal promete, tanto em seu próprio Nome, como no nome de Seus Sucessores, admitir para sempre, de aqui em diante, no Reino de Portugal os panos de lã e mais as fábricas de lanifício de Inglaterra, como era costume até os tempos em que foram proibidos pelas leis, não obstante qualquer condição em contrário." (Tratado de Methuen, entre Inglaterra e Portugal, em 1703. Disponível em: Acesso em: 30 set. 2004.) "Eu a rainha faço saber aos que este alvará virem [...] que sendo-me presente o grande número de fábricas e manufaturas que [...] têm se difundido em diferentes capitanias do Brasil, com grave prejuízo da cultura, e da lavoura, e da exploração das terras minerais naquele vasto continente; porque havendo uma grande e conhecida falta de população, é evidente que, quanto mais se multiplicar o número de fabricantes, mais diminuirá o dos cultivadores; [...] hei por bem ordenar que todas as fábricas, manufaturas ou teares [...] excetuando-se tão somente aqueles [...] em que se tecem, ou manufaturam, fazendas grossas de algodão, que servem para o uso e vestuário de negros, para enfardar, para empacotar, [...]; todas as mais sejam extintas e abolidas por qualquer parte em que se acharem em meus domínios do Brasil." (Alvará de Dona Maria I sobre a manufatura no Brasil, em 1785. Disponível em: Acesso em: 30 set. 2004.) Com base nos documentos, é correto afirmar:
a) Ao contrário da Inglaterra, a manufatura não se desenvolveu no Brasil devido à ausência de vocação para a industrialização.
b) As restrições da metrópole ao desenvolvimento manufatureiro no Brasil justificaram-se pela concorrência dos produtos ingleses, considerados de melhor qualidade.
c) No século XVIII, a Coroa portuguesa aumentou o controle sobre a Colônia enquanto submeteu o seu reino aos interesses comerciais ingleses.
d) As medidas proibitivas dos portugueses contra as manufaturas da Colônia representaram um afrouxamento no monopólio comercial, favorecendo os setores rurais.
e) No século XVIII, Portugal e Inglaterra adotaram medidas conjuntas visando estimular a produção e o comércio das manufaturas em suas respectivas colônias.



resposta:
[C]

origem:Uel
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:"Devo dizer, a bem da verdade, que a Corte ostentou nessa ocasião um luxo em équipages, em librés e em mobiliário de toda espécie, realmente espantoso neste país, onde os recursos são muito limitados, onde outrora tudo faltava, e onde há pouco e, por assim dizer, nenhum precedente; [...] o golpe de vista no momento em que o Imperador se apresentou ao povo de balaustrada da Varanda era magnífico e possivelmente incomparável por causa da natureza do local." (Barão Daiser em sua correspondência ao príncipe Metternich Apud SCHWARCZ, Lilia M. "As barbas do imperador: D. Pedro, um monarca nos trópicos". São Paulo: Companhia das Letras, 1998. p. 83.) A descrição do baile de sagração e coroação do imperador D. Pedro II retrata o espetáculo do acontecimento e seu significado para o Brasil do século XIX. Sobre o tema, é correto afirmar:
a) A sagração teve seu lado instrumental, com ela as elites recolocavam um Imperador como símbolo da nação e encontravam na monarquia um sistema necessário de arbitramento entre elas.
b) A riqueza do ritual e a força de sua divulgação restringiram-se às elites, logo, no imaginário popular, a mística do pequeno rei brasileiro passou despercebida.
c) Por serem inconstitucionais, a coroação e a sagração distanciaram-se da necessidade de afirmação de um passado real ou de uma tradição imperial.
d) A coroação de D. Pedro II diluiu as dificuldades políticas das Regências, consolidando e estabilizando as instituições monárquicas brasileiras.
e) A subida do Imperador ao trono representou o fim da influência francesa na cultura brasileira e a adoção de um estilo de vida, por parte da Corte, sóbrio e austero.



resposta:
[A]

origem:Uel
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Analise a figura a seguir.

Com base na imagem e nos conhecimentos sobre o processo abolicionista no Brasil, é correto afirmar:
a) Agostini satiriza a disputa entre fazendeiros e industriais brasileiros pela contratação da mão-de-obra negra como assalariada após a Abolição. Para as elites, os ex-escravos seriam os mais capazes para o trabalho na agricultura e na indústria.
b) A imagem representa a disputa entre fazendeiros e parlamentares para ficar com as glórias pela aprovação da primeira lei de abolição da escravidão na América Latina.
c) Agostini critica as estratégias das elites dirigentes, proprietários de terras e escravos, utilizadas para protelar o fim do trabalho escravo, no contexto da atuação dos movimentos abolicionistas.
d) Agostini apresenta uma crítica à campanha inglesa contra a abolição da escravidão, retratando o vigoroso embate entre abolicionistas brasileiros e comerciantes ingleses radicados no Brasil.
e) A imagem aponta para os embates entre abolicionistas e representantes das camadas populares que, organizadas em clubes, comitês e confederações, empenharam-se para impedir a libertação dos escravos no Brasil.


resposta:
[C]

origem:Uel
tópico:
Geral

sub-grupo:Relações Históricas

pergunta:A ciência e a cultura são processos históricos que caminham juntos. A cultura escolar no mundo ocidental apresenta um conjunto de formalidades no processo de transmissão do saber, em que os alunos adquirem habilidades e competências necessárias à formação, tanto profissional quanto cultural. Ou seja, a escolarização é fundamental para se ter acesso à ciência e à cultura. Assim, uma política de ensino associa-se a uma política cultural forte. O objetivo é transformar crianças e jovens em cidadãos e futuros trabalhadores competentes e socializados em conformidade com um projeto nacional, seja ele democrático ou imposto por uma minoria. Enfim, ao pretender a unificação de uma nação, a escola tem papel determinante em torno de uma cultura que é produzida por ela, independemente das diversidades sociais, culturais e religiosas. (Adaptado de: WARNIER, Jean-Pierre. "A mundialização da cultura". Bauru: EDUSC, 2000. p. 103-104.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre as relações entre ciência e cultura no Ocidente, é correto afirmar:
a) A ciência ocidental é praticada de diferentes modos, condicionada pelas determinações de um projeto nacional, seja ele democrático ou autoritário.
b) A escola para crianças e jovens é incapaz de produzir ciência, pois a cultura escolar no Ocidente está desvinculada do princípio do conhecimento científico.
c) A ciência ocidental tem pouca vocação para a universalidade, uma vez que as práticas científicas, métodos e experiências definem-se por suas particularidades.
d) A ciência e a cultura têm funções diferentes e específicas na formação do indivíduo-cidadão. Por essa razão, elas se excluem no processo da formação escolar nos sistemas de ensino no Ocidente.
e) As nações modernas desenvolveram o campo da ciência, da educação e da cultura para poder produzir conhecimentos, visando desenvolver habilidades e competências.



resposta:
[E]

origem:Uel
tópico:
Brasil

sub-grupo:Era Vargas

pergunta:Nos anos 30, houve uma famosa polêmica entre Wilson Batista e Noel Rosa, caracterizada nas letras dos sambas que compuseram. "Meu chapéu de lado / tamanco arrastando / lenço no pescoço / navalha no bolso / eu passo gingado / provoco e desafio / tenho orgulho / em ser tão vadio / sei que falam deste meu proceder / eu vejo quem trabalha / andar no miserê." ("Lenço no pescoço", 1933, Wilson Batista.) "Malandro é palavra derrotista / que só serve pra tirar / todo o valor do sambista / proponho ao povo civilizado / não te chamar de malandro / e sim de rapaz folgado." ("Rapaz folgado", 1938, Noel Rosa.) Com base nas letras dos sambas e nos conhecimentos sobre aquele período, é correto afirmar:
a) As letras põem em evidência os novos procedimentos e a nova moda que pretendiam ditar regras aos artistas, ansiosos por alcançar o sucesso, e ensinam as formas de burlar os preconceitos sociais.
b) Noel Rosa expõe a origem do malandro, exaltando sua forma de vida contestadora à época, enquanto Wilson Batista valoriza os comportamentos individuais necessários à sua aceitação social.
c) O samba Lenço no pescoço expõe as reivindicações da classe operária no período getulista, enquanto o samba Rapaz folgado faz uma crítica à penetração de uma cultura civilizadora no samba, contrária à vadiagem.
d) Os sambas problematizam a hierarquização entre as atuações artística, profissional e amadora, sendo que Noel é mais enfático em sua crítica aos valores culturais e sociais que pretendiam disciplinar o malandro.
e) Os compositores apresentam, de modo crítico e jocoso, a atitude daqueles que viviam em bairros pobres e favelas das grandes cidades, portadores de uma cultura própria e contestadora.



resposta:
[E]

origem:Uel
tópico:
Geral

sub-grupo:Relações Históricas

pergunta:"[...] É certo que nem mesmo as guerras, e muito menos as revoluções, são sempre inteiramente marcadas pela violência. Onde quer que a violência domine de forma absoluta, como, por exemplo, nos campos de concentração dos regimes totalitários, não apenas as leis [...] mas tudo e todos devem permanecer em silêncio. É em virtude desse silêncio que a violência é um fenômeno marginal no campo político, pois o homem, na medida em que é um ser político, está dotado do poder da fala [...]" (ARENDT, Hannah. "Da Revolução". Brasília: UNB, 1988. p.15.) Com base no texto sobre o tema violência e revolução, é correto afirmar:
a) A violência em muitos casos se explica pela ausência da ação política, que é uma forma de equacionar problemas e conflitos nas relações de poder.
b) Diante da violência absoluta, tudo se cala: os homens, a política e as instituições, menos as leis.
c) As guerras e as revoluções são fenômenos políticos essencialmente marcados por violência.
d) O conceito de política no texto ilustra bem a idéia de que poder e violência não se separam, sendo, por isso, fatos intrínsecos.
e) Para a autora, a violência está impregnada de modo irreversível no campo político.



resposta:
[A]

 


Próxima Página »

Página 1 de 2