Banco de dados de questões do vestibular Ufrrj-2004 - perguntas e respostas comentadas
questões de vestibulares
|

 

Questões Ufrrj-2004

REF. Pergunta/Resposta
origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:Leia o texto a seguir sobre a economia mineradora no Brasil colônia. Minas Gerais rural dos anos pioneiros apresentava feições que contrastavam gritantemente com a economia latifundiária de "plantation" do litoral. O surto do ouro criara, pela primeira vez, um mercado a centenas de quilômetros da costa para produtos como cachaça e açúcar, até então apenas exportados. KENETH M. "A Devassa da Devassa". A Inconfidência Mineira: Brasil e Portugal 1750-1808. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977. p.110. A descoberta dos filões de ouro nas Gerais acelerou o processo de interiorização da colônia no final dos seiscentos e acentuou o movimento migratório em direção ao sul.
a) Discuta a principal alteração na economia colonial introduzida pela produção aurífera, segundo a abordagem do texto acima.
b) Cite uma medida da Coroa de normatização da arrecadação de tributos na região das minas, no sentido de controlar o contrabando e maximizar suas receitas.



resposta:
a)Surgiu um expressivo mercado interno por conta da exploração do ouro.
b)O Governo criou as Casas de Fundição e a cobrança do quinto.

origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:Leia o texto a seguir sobre a Guerra do Paraguai. Enquanto o café seguia sua marcha no Oeste Paulista e as propostas de abolição gradual da escravatura davam os primeiros passos, um acontecimento internacional iria marcar profundamente a história do segundo Império. Esse acontecimento foi a Guerra do Paraguai, travada por mais de cinco anos, entre 11 de novembro de 1864, quando ocorreu o primeiro ato das hostilidades, e 1 de março de 1870. Ela é conhecida, na América espanhola, como Guerra da Tríplice Aliança. BORIS, F. "História do Brasil". São Paulo: Edusp, 1995. p. 208. A declaração de guerra do Paraguai ao Brasil deu início ao mais longo conflito em território americano. Pode-se afirmar que a Guerra do Paraguai
a) resultou do acirramento da competição na região do Prata, especialmente pelo controle da produção de charque.
b) foi incentivada pelo apoio da Inglaterra ao Paraguai, na tentativa de fortalecimento do controle econômico sobre a região do Prata.
c) teve como conseqüência a demonstração de poder político da Inglaterra, especialmente após a Questão Christie.
d) levou à formação da Tríplice Aliança, unindo Brasil, Argentina e Uruguai, contra o Paraguai de Francisco Solano López.
e) ocasionou uma nova composição de forças, envolvendo Brasil, Argentina e Bolívia, após o aprisionamento do navio brasileiro "Marquês de Olinda", pelo Uruguai.



resposta:
[D]

origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Crise do Sistema Colonial

pergunta:A citação a seguir destaca a chegada da corte portuguesa ao Rio de Janeiro, em 1808, como um início de uma fase de grandes mudanças para a cidade que perdia então a sua imagem colonial. Para o Rio de Janeiro, principalmente, era toda uma fase de sua história que agora terminava. Fase de grandes transformações realizadas sob o impacto das necessidades de toda ordem despertadas pela chegada e instalação da Corte portuguesa. Em pouco mais de uma década, a cidade passara por um processo de modernização material e atualização cultural, perdendo muito de sua aparência colonial para transformar-se numa metrópole. FALCÓN, F. C.; MATTOS, I. R. de. "O Processo de Independência no Rio de Janeiro". In: MOTA, C. G. (org). 1822. Dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972. Entre as medidas que favoreceram essas transformações podem ser assinaladas:
a) o início da construção do Paço Imperial, a sede do governo, a criação da Imprensa Régia e a instalação da iluminação a gás.
b) a construção da primeira estrada de ferro do Brasil, a criação do banco do Brasil e a fundação da Imperial Academia de Música.
c) o estabelecimento da Intendência Geral de Polícia, a fundação do Banco do Brasil e a criação da Imprensa Régia.
d) a criação da Imprensa Régia, a instalação da iluminação a gás e a construção da primeira estrada de ferro do Brasil.
e) a permissão de instalação de manufaturas no Brasil, o estabelecimento da Intendência geral de Polícia e a construção da primeira estrada de ferro do Brasil.



resposta:
[C]

origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Período Regencial

pergunta:A proclamação que se segue ocorria durante a chamada Revolta dos Farrapos, no sul do Brasil, surgida no período de crise político-institucional ocorrida a partir do afastamento do poder de D. Pedro I, em 1831. Camaradas! Nós, que compomos a 1 Brigada do exército liberal, devemos ser os primeiros a proclamar (...) a independência desta Província, a qual fica desligada das demais do Império e forma um Estado livre e independente, com o título de República Riograndense (...) Proclamação do Cel. Antônio de Sousa Neto às suas tropas em 11/09/1836. Apud: FLORES, M. "Revolução dos Farrapos". São Paulo: Ática, 1995. p. 20.
a) Aponte um dos fatores centrais responsáveis pela eclosão da revolta.
b) Compare a Farroupilha com as demais revoltas do período quanto ao aspecto da participação popular.



resposta:


origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Era Vargas

pergunta:A proclamação a seguir é do movimento que, em nome da Aliança Nacional Libertadora, os comunistas deflagraram ao final de 1935 contra o governo Getúlio Vagas (1930/45) e que trouxe conseqüências que marcaram as décadas seguintes da História do Brasil. O Rio Grande do Norte, desafrontado dos dias amargos em que viveu tiranizado por um governo forjado na prostituição dos princípios republicanos de outrora, hasteia-se soberbo, (...) abrindo caminho largo no solo abençoado da Pátria à entrada triunfal do Cavaleiro da Esperança - Luiz Carlos Prestes. (...) A Aliança Nacional Libertadora assegura garantias plenas a todos os cidadãos, sem distinção de credo político ou religioso (...). Proclamação dos revoltosos de Natal (RN) em 24 de novembro de 1935, apud: ALVES FILHO, I. "Brasil", 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. 2. ed., p. 446.
a) Explique o aparecimento do nome de Luiz Carlos Prestes na proclamação dos revoltosos.
b) Cite uma conseqüência do fracasso do levante de 1935 para a História brasileira dos anos 30.



resposta:


origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Revolução de 64 - Ditadura Militar

pergunta:A seguir são citados alguns artigos do Ato Institucional n.o1: o primeiro documento do regime institucional pelos militares que derrubaram o governo constitucional de João Goulart, em 1964. Nele transparecem não só a vocação arbitrária dos novos governantes, mas, também, uma preocupação de tentar dar um sentido de normalidade institucional. Ato Institucional Art. 1.o - São mantidas a Constituição de 1946 e as Constituições Estaduais e respectivas emendas, com as modificações constantes deste Ato. (...) Art. 7.o - Ficam suspensas por seis (6) meses, as garantias constitucionais ou legais de vitaliciedade e estabilidade. Art. 9.o - A eleição do Presidente e do Vice-Presidente da República, (...), será realizada em 3 de outubro de 1965. Art. 10.o - (...) sem as limitações previstas na Constituição, os Comandantes-em-Chefe que editam o presente Ato poderão suspender os direitos políticos (...) e cassar mandatos legislativos (...) excluída a apreciação judicial desses Atos. Ato Institucional n.o1, de 9 de abril de 1964, apud: ALVES FILHO, I. "Brasil", 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. 2. ed., p. 575.
a) Retire do texto acima um elemento representativo do arbítrio instaurado pelo novo regime, explicitando seu objetivo.
b) Explique a preocupação dos chefes militares em manter uma imagem de normalidade constitucional para um governo surgido pela força das armas.



resposta:
a) O artigo 7 que suspendia por seis meses as garantias constitucionais ou legais de vitaliciedade e estabilidade com o propósito de afastar qualquer interferênia dos juízes.
b) Os chefes militares procuravam legitimar-se no poder com a intenção de defender-se do governo.

origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:Repúlblica Oligárquica

pergunta:A charge exposta a seguir trata da política brasileira durante o período de crise do que se convencionou chamar de República Oligárquica.

Charge de STONI na revista Careta, ano 22, n 1103, de 10/08/1929 In: LEMOS, Renato (organizador). "Historia do Brasil através da caricatura" (1840-2001). Rio de Janeiro: Bom Texto Editora e Produtora de Arte e Editora Letras & Expressões, 2001. p.61. A charge em questão joga com o nome de personagens importantes da política brasileira da época para compor o nome daquele que, conhecido como "Cavaleiro da Esperança", carregava então um enorme prestígio e as aspirações de mudança de grandes parcelas do povo brasileiro a partir de sua atuação
a) na revolta de julho de 1922, conhecida como os 18 do Forte de Copacabana, em contestação à eleição e posse de Artur Bernardes, representante das oligarquias dominantes.
b) no levante de novembro de 1935, em nome da Aliança Nacional Libertadora (ANL), contra o integralismo e o governo de Getúlio Vargas (1934/37).
c) na direção do Partido Comunista do Brasil (PCB), que se tornou vítima do autoritarismo do governo de Eurico Dutra (1946/51).
d) na direção da luta operária do período, com a organização do Bloco Operário e Camponês (BOC), que o lançou candidato à presidência da República em 1930.
e) na chamada "Coluna Miguel Costa - Prestes", que percorreu o Brasil buscando organizar um levante contra o governo das oligarquias rurais.


resposta:
[E]

origem:Ufrrj
tópico:
Brasil

sub-grupo:República Liberal

pergunta:Leia o texto a seguir sobre o governo de Kubitschek. Para implantar a nova opção de política econômica com o mínimo de estabilidade, o governo Kubitschek usou como estratégia - além da elaboração de uma ideologia de mobilização popular - o reforço da eficácia da coligação PSD/PTB no legislativo. BORIS, F. "História do Brasil". São Paulo: EDUSP, 1955. p. 343. O acordo PSD/PTB forneceu estabilidade e garantiu apoio ao governo de Juscelino Kubitschek. Sobre sua política econômica, pode-se afirmar que
a) foi definida pelo Plano de Metas, que configurou o perfil nacional-desenvolvimentista, combinando a articulação do Estado, da empresa privada nacional e do capital estrangeiro, na implementação da modernização industrial.
b) favoreceu o capital internacional em detrimento da burguesia nacional, na condução da industrialização, através do Programa de Metas.
c) promoveu a ascensão do grande capital nacional na condução do processo industrial, especialmente do setor automobilístico.
d) marcou o fim da tradicional dependência econômica do capital externo, favorecendo o desenvolvimento da indústria nacional.
e) gerou o processo de substituição de importações, resultando em significativo crescimento na produção industrial.



resposta:
[A]

origem:Ufrrj
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:Leia o texto adiante sobre a expansão comercial e marítima portuguesa e, com base nele, responda às questões a seguir. Em 1498, o português Vasco da Gama consegue chegar a Calicute, nas Índias, contornando o Cabo da Boa Esperança. Em seguida, as frotas portuguesas procuraram estabelecer um maior controle do oceano Índico. À medida que as rotas de navegação se consolidam, Portugal centraliza o comércio das especiarias alterando o papel a ser desempenhado pelas cidades de Gênova e Veneza. THEODORO, J. "Descobrimentos e Renascimento". São Paulo: Contexto, 1991. p. 20.
a) Mencione duas razões que explicam o pioneirismo português nas navegações e descobrimentos dos séculos XV e XVI.
b) Estabeleça uma relação entre práticas mercantilistas e a assim chamada expansão comercial e marítima.



resposta:


origem:Ufrrj
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:O texto a seguir trata das incursões francesas na América; entretanto, essas ainda não representavam que a França tivesse dado início à sua expansão. Ao longo do século XVI, os franceses estiveram na América, mas isso não significava uma atitude sistemática e coerente desenvolvida pela Coroa. Era, no mais das vezes, atuação de corsários e de uns poucos indivíduos. Como exemplo, pode-se mencionar as invasões do litoral brasileiro, (...), e algumas visitas à América do Norte. FARIA, R. de M.; BERUTTI, F. C.; MARQUES, A. M. "História para o Ensino Médio". Belo Horizonte: Lê. 1998. p.182. Dentre os motivos que levaram a França a iniciar tardiamente sua expansão marítima e comercial, podemos destacar
a) os problemas internos ligados à consolidação do Estado Nacional.
b) a derrota da França na violenta guerra contra a Alemanha.
c) a falta de associação entre a Coroa e a Burguesia francesa.
d) a violenta disputa religiosa entre calvinistas e luteranos.
e) a não inclusão das classes superiores no projeto expansionista.



resposta:
[A]

origem:Ufrrj
tópico:
Historia

sub-grupo:Revolução Industrial

pergunta:Sobre o movimento luddista veja as impressões do industrial inglês Wedgwood e responda às questões a seguir. Quando chegávamos a Bolton, encontramos no caminho várias centenas de homens. Creio que eram aproximadamente uns quinhentos; e como perguntássemos a um dentre eles por que se encontravam reunidos em tão grande número, responderam-nos que iam destruir as máquinas e que fariam o mesmo em todo o país. MANTOUX, . Apud ARRUDA, J. J. de A. "História Moderna e Contemporânea". São Paulo: Ática, 1976. p.126.
a) Aponte dois fatores que possibilitaram a revolução industrial.
b) De que forma podem ser explicados os movimentos luddistas?



resposta:


origem:Ufrrj
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:Leia o texto a seguir, sobre algumas das razões que levaram à chamada Revolução Gloriosa, e responda à questão a seguir. Satisfeitos com a política de Carlos II contra a Holanda, os capitalistas ingleses não se sentiam entretanto contentes com a sua atitude, e ainda menos com a de Jaime II, em relação à França, que se transformara na mais temível concorrente da Inglaterra no comércio e nas colônias. (...) A luta econômica contra a França, a luta por uma religião mais adaptada ao espírito capitalista, provocaram a revolução de 1688. MOUSNIER, R. "História geral das civilizações". Os séculos XVI e XVII. São Paulo: Difel, 1973. v. 9 p.324. Sobre a Revolução Gloriosa de 1688/1689, pode-se afirmar que ela
a) representou a vitória de setores reacionários no espectro político inglês e o retorno à descentralização política típica do mundo medieval.
b) significou, após a afirmação temporária de governos protestantes, um retorno à tradição britânica de governos católicos.
c) foi o momento no qual o anglicanismo afirmou-se definitivamente como religião de Estado na Inglaterra.
d) representou uma derrota da teoria do direito divino e o triunfo da teoria do contrato entre o soberano e o povo.
e) representou a vitória da teoria da separação dos três poderes e de um estado democrático baseado no sufrágio.



resposta:
[D]

 


Próxima Página »

Página 1 de 2