Questões de Estilo - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Estilo

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Mackenzie1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:Apresentam-se, a seguir, trechos representativos da literatura barroca e figuras de linguagem a eles relacionadas. Aponte a alternativa em que a correspondência é INCORRETA.
a) Agora que SE CALA O SURDO VENTO
E o RIO ENTERNECIDO com meu pranto
Detém seu vagaroso movimento.
PROSOPOPÉIA
b) As aves que eram do bosque,
CLARINS DE PLUMAS ANIMADOS
Faltando-lhes a estrela da alva
Suspendem tristes o canto.
METÁFORA
c) O PRAZER com a PENA se embaraça;
Porém quando um com o outro mais porfia,
O gosto CORRE, a dor apenas PASSA.
ANTÍTESE
d) Ardor em firme coração nascido;
Pranto por belos olhos derramado;
INCÊNDIO EM MARES DE ÁGUA DISFARÇADO;
RIO DE NEVE EM FOGO CONVERTIDO.
PARADOXO
e) Porém, se ACABA o Sol, por que NASCIA?
Se TÃO FORMOSA É A LUZ, POR QUE NÃO DURA?
Como a beleza assim se transfigura?
HIPÉRBOLE



resposta:[E]

vestibular Mackenzie1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:Gosto de estar a teu lado.
Sem brilho.
Tua presença é uma carne de peixe,
De resistência mansa e um branco
Ecoando azuis profundos.

Eu tenho liberdade em ti.
Anoiteço feito um bairro
Sem brilho algum.

Estamos no interior duma asa
Que fechou.
Mário de Andrade

I - Os versos 2 e 8 desqualificam a idéia da relação a dois, antecipando esse significado, definitivamente construído nos dois versos finais.
II - A métrica retifica o desejo de liberdade, já que apresenta versos brancos e assimétricos.
III - Trata-se de um hino de consagração à liberdade, cantado pela musa inspiradora do motivo erótico-amoroso.
IV- A metáfora CARNE DE PEIXE resvala no cotidiano antipoético, com os traços semânticos de mau cheiro, que constituem um segundo significado subjacente.
V - A metáfora CARNE DE PEIXE resgata, única e exclusivamente por si mesma, as figuras da beleza e da profundeza do mar.

Quanto a essas afirmações sobre o poema, afirma-se que:
a) todas estão corretas.
b) nenhuma está correta.
c) apenas a II e a IV estão corretas.
d) apenas a I e a III estão corretas.
e) apenas a V está correta.



resposta:[B]

vestibular Mackenzie1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:Para mim, belo amigo, você nunca será velho,
Pois, como era na primeira vez em que vi seus olhos,
Tal me parece ainda a sua beleza. O frio de três invernos
Sacudiu da floresta o orgulho de três verões,
Três belas primaveras viraram outono amarelo.
No processo das estações, eu vi
Três perfumes de abril queimarem em três junhos quentes,
Desde que, por primeiro, vi seu frescor que ainda permanece verde.
(Shakespeare)

Observe as seguintes afirmações:

I - Por meio de recursos descritivo-sensoriais, o poeta associa a passagem do tempo ao processo das estações do ano.
II - A ação do "frio de três invernos" está expressa prosaicamente, por meio de uma catacrese.
III - O último verso contraria a idéia expressa no primeiro.

Assinale:
a) se apenas I está correta.
b) se apenas II está correta.
c) se apenas III está correta.
d) se apenas I e III estão corretas.
e) se todas estão corretas.



resposta:[A]

vestibular Mackenzie1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:A porta do barraco era sem trinco
E a lua furando nosso zinco
Salpicava de estrelas nosso chão
E tu, tu pisavas nos astros distraída
Sem saber que a ventura dessa vida
É a cabrocha, o luar e o violão.
(Sílvio Caldas / Orestes Barbosa)

Assinale a alternativa correta.
a) No verso 2, a prosopopéia encontra-se com a metonímia para construir a ação poética de um sujeito sobre um barraco.
b) No verso 4, o predicativo do objeto, DISTRAÍDA, aponta para o modo despojado de ser da mulher.
c) A oração subordinada substantiva objetiva indireta, que está nos versos 5 e 6, designa o objeto desejável do saber, segundo o poeta.
d) O complemento nominal, DE ESTRELAS, junto com o verbo SALPICAR, constrói uma metáfora para o espaço astral.
e) O complemento nominal, NOS ASTROS, poetiza, pela conotação, a ação cotidiana de PISAR.



resposta:[A]

vestibular Unb1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:Com referência ao poema, julgue os itens abaixo.

(1) Predominam os versos heptassílabos ou de redondilha maior.
(2) A rima entre "mônada" e "nada" (v.9-10) é perfeita, com consoante de apoio.
(3) A leitura das estrofes pode ser feita tanto na vertical quanto na horizontal.
(4) Em "pilastra de ponte pênsil" (v.12), ocorre o recurso estilístico, de natureza fonológica, conhecido por ALITERAÇÃO.



resposta:V F V V

vestibular Uel1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:"Cego me fazem já com ânsias vivas
De teus olhos os sóis abrasadores,
De meus olhos as águas sucessivas."

Os versos anteriores ostentam os seguintes recursos retóricos, intensificados na poesia barroca:
a) hipérboles e antíteses.
b) apóstrofes e invocações.
c) eufemismo e ironia.
d) coloquialismo e anticlímax.
e) elipses e pleonasmos.



resposta:[A]

vestibular Unb1997
tópico:Estilo

sub-grupo:Versificação
pergunta:A obra literária em versos tem ritmo e metro distintos do texto em prosa. Com relação às características do texto literário e tendo por base o poema MÃOS DADAS, julgue os itens a seguir.

(0) O poema é composto por duas estrofes assimétricas.
(1) Os versos não obedecem a um esquema métrico constante nem a um ritmo regular.
(2) As estrofes são constituídas por versos brancos.
(3) Há um paralelismo rítmico, com uma gradação semântica, em "o tempo presente, os homens presentes, a vida presente" (v.12-13).



resposta:V V V V

vestibular Unirio1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:Assinale a opção em que NÃO há correspondência entre o trecho destacado e o recurso estilístico indicado.
a) "É um retângulo de luar..." (texto I - l. 1) - metáfora
b) "Imitador como um plagiário..." (texto I - l. 3) - símile
c) "Não tem memórias." (texto I - l. 5) - elipse
d) "Ou será tão outra a nossa verdadeira imagem..." (texto II - par. 4) - hipérbole
e) "... deve ter suas razões o misterioso cenarista dos sonhos..." (texto II - par. 5) - hipérbato



resposta:[D]

vestibular Unesp1999
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:No conto UMA HISTÓRIA DE MIL ANOS, Monteiro Lobato interpreta os valores expressivos dos sons com que representamos o canto dos pássaros, bem como de vocábulos onomatopaicos que a Língua Portuguesa herdou do tupi. Com base neste comentário, responda:
a) Para exprimir relações entre som e sentido, os escritores muitas vezes se servem da sinestesia, ou seja, da mescla de diferentes impressões sensoriais, como por exemplo o sintagma "ruído áspero e frio", em que se misturam sensações auditivas ("ruído") e tácteis ("áspero e frio"). Localize, no quinto parágrafo do conto, um sintagma em que ocorre procedimento semelhante e identifique as impressões sensoriais evocadas.
b) Monteiro Lobato não concordava com as regras de acentuação do Sistema Ortográfico vigente, instituído em 1943, e não as empregava em seus textos. As diversas edições de suas obras têm mantido a acentuação original do escritor. Após reler o texto apresentado, localize duas palavras cuja acentuação não esteja de acordo com a ortografia oficial e mencione as regras a que deveriam obedecer.



resposta:a) A sinestesia ocorre no trecho "geme um gemido aveludado, lilás sonorização dolente de saudade". Evocam os sentidos: audição ("gemido") tato ("aveludado") e visão ("lilás").

b) Em "urutáu", o ditongo "au" não se acentua pela regra vigente. Também "urú", pois é oxítona terminada em "u".

vestibular Unesp1999
tópico:Estilo

sub-grupo:Versificação
pergunta:Cony cita, no quarto parágrafo da crônica, um trecho do soneto de Cardim, mas sob forma de prosa. Leia novamente o mencionado parágrafo e, a seguir,
a) transcreva, sob forma de versos, o trecho citado pelo cronista e diga a que parte do soneto original deveria pertencer;
b) interprete, tomando como referência o conteúdo desses versos, a expressão "Iascívia contrariada", que Cony emprega duas vezes em sua crônica.



resposta:a) "Passei bem junto a ela. E decerto Ela nem soube que eu passei tão perto E nem suspeita que eu segui chorando". O verso 11 é qualificado como o "verso quebrado", pois na metrificação há nove sílabas. Se entre ELA e E for lido como hiato, ocorrerá o verso decassílabo.

b) No poema, fica claro o amor não correspondido do poeta. Assim, o cronista enfatiza a "lascívia contrariada", o desejo do amante e a indiferença da mulher.

vestibular Unesp1999
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:Em AMOR DE PERDIÇÃO, quando Simão Botelho afirma "Dize tu, Teresa, se os meus lábios profanaram a pureza de teus ouvidos." a palavra "lábios", que significa uma parte do seu corpo, é empregada para designar o próprio Simão. Este recurso é denominado SINÉDOQUE. Baseado nesta informação, releia o segundo período do fragmento de OS MAIAS e responda:
a) Encontre no mencionado período um exemplo de sinédoque e explique-o.
b) Identifique, comprovando com elementos do próprio período, o sentimento que Carlos revela em relação à condessa de Gouvarinho.



resposta:a) Sinédoque consiste no uso do todo pela parte. Em "AQUELES BRAÇOS perfumados de verbena se tinham atirado o teu pescoço", tem-se a parte (braços) pelo todo (a condessa).

b) Carlos aparenta ter repulsa à condessa de Gouvarinho, pois "ele ia pensando como se poderia desembaraçar da sua tenacidade, do seu ardor, do seu peso..."

vestibular Enem1998
tópico:Estilo

sub-grupo:Figuras de linguagem
pergunta:O poema tem, como característica, a figura de linguagem denominada antítese, relação de oposição de palavras ou idéias. Assinale a opção em que essa oposição se faz claramente presente.
a) "Amor é fogo que arde sem se ver."
b) "É um contentamento descontente."
c) "É servir a quem vence, o vencedor."
d) "Mas como causar pode seu favor."
e) "Se tão contrário a si é o mesmo Amor?"



resposta:[B]