Questões de Interpretação de texto - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Interpretação de texto

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O texto 1 compõe a trajetória do personagem Aires em um dia específico. Reconstrua os passos principais dessa trajetória através de suas ações, integradas no tempo e no espaço.



resposta:Aires vai ao passeio público para espairecer, fica ouvindo as ondas às quais atribui uma alma forte, não se envolve com os murmúrios dos acontecimentos, vai ao Largo da Carioca, à Rua do Ouvidor e finalmente volta para casa num tílburi, onde ouve mais histórias.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Observe o texto 1 e responda:
a) "Quando lhe acontecia o que ficou contado, era costume de Aires sair cedo, a espairecer. Nem sempre acertava."
Os dois períodos acima estão ligados por uma relação de contrariedade, de oposição. Explique a veracidade dessa afirmação de acordo com o que é posteriormente narrado.
b) No primeiro parágrafo é estabelecida uma relação entre MAR e POVO que visa a um efeito de sentido. Que recursos de linguagem constroem essa associação?



resposta:a) A oposição se dá porque desta feita o passeio de Aires não lhe permite espairecer como pretendia devido aos acontecimentos da revolta republicana.
b) As prosopopéias.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Compare o primeiro e o segundo parágrafos do texto 1 a partir da relação entre o Conselheiro Aires e a natureza, no primeiro, e Aires e as pessoas, no segundo.



resposta:Aires identifica-se com a força das ondas do mar revolto, atribuindo-lhe características humanas no primeiro parágrafo. O segundo parágrafo mostra o personagem sendo tomado como uma espécie de espião de um dos lados da revolta.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Observando o texto 1 responda à seguinte questão:
De que maneira as técnicas narrativas, total onisciência, discurso indireto e discurso direto, são utilizadas pelo narrador para mostrarem o envolvimento do personagem Aires com as notícias na manhã de 15?



resposta:As técnicas narrativas marcam bem o alheamento do personagem.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Observando o texto 2, responda:
a) Na reconstituição do fato histórico, o narrador mescla às suas afirmações, opiniões expressas por personagens históricas. Qual a importância desse procedimento utilizado pelo narrador?
b) Estabeleça comparações entre o texto literário de Machado de Assis e o texto histórico, a partir dos fragmentos a seguir:
"Estava de pé, falando entre si, e a outra que entrava ia pegando na conversação sem conhecer os interlocutores."
"O representante norte-americano (...) não pôde deixar de estranhar que um setor isolado se atribuísse, por conta própria, o direito de falar pelo povo..."



resposta:a) Coloca de forma viva a repercussão do fato no tempo em que ocorreu.
b) Em ambos os textos fala-se do caráter isolado da revolta republicana, que não sensibilizou a população.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:No texto 3 o sentido da metáfora do verso seis é desmascarado pelo efeito da metonímia do verso onze. Qual a mudança de sentido que houve de uma passagem para outra?



resposta:Perdeu-se o caráter de agressividade e aguerrimento de "lenço incendiário", ficando apenas detalhe exterior marcado pela peça de vestuário.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:No texto 3 o poema de Drummond compõe-se de quatorze versos. Nos primeiros sete, predominam personagens humanos e nos últimos sete, personagens da natureza. Como você explica o desaparecimento das ações diretas do homem na segunda parte do poema, mas presentes, enquanto efeito, no último verso?



resposta:A ação direta do homem manifesta-se como política, cujos efeitos, devastadores, chegam até os elementos da natureza, alheios a ela.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Apesar das diferenças existentes nos textos 1, 2 e 3, eles se aproximam em alguns aspectos com relação ao assunto tratado. Você discorda desta afirmação ou concorda com ela? Justifique sua resposta.



resposta:Concordo, pois os três textos tratam do mesmo período histórico, abordando aspectos semelhantes.

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:"Saber a matéria em que fala, procurar o espírito de um livro, escarná-lo, aprofundá-lo, até encontrar-lhe a alma, indagar constantemente as leis do belo, tudo isso com a mão na consciência e a convicção nos lábios, adotar uma regra definida, a fim de não cair na contradição, ser franco sem aspereza, independente sem injustiça, tarefa nobre é essa que mais de um talento podia desempenhar, se se quisesse aplicar exclusivamente a ela. No meu entender é mesmo uma obrigação de todo aquele que se sentir com força de tentar a grande obra da análise conscienciosa, solícita e verdadeira."
(ASSIS, Machado de. Trecho extraído de "O IDEAL CRÍTICO". Rio de Janeiro, Aguilar, 1971, p. 800)

Lendo o fragmento textual, extraído do ensaio O IDEAL CRÍTICO de Machado de Assis, é CORRETO afirmar que:
a) A função do crítico envolve procedimentos muito sérios, uma vez que as leis do sentimento devem sempre superar as leis da razão.
b) Saber profundamente o assunto sobre o qual a obra tenha tratado, bem como buscar a justiça e a moral são as duas condições mais importantes no trabalho crítico.
c) O verdadeiro trabalho crítico fundamenta-se, dentre outras coisas, na busca da essência de uma obra, por um lado; por outro, deve estar munido de um equilíbrio analítico, evitando a arbitrariedade e o logro crítico.
d) Ser franco sem aspereza, independente sem injustiça constituem a nobreza do trabalho crítico, pois sem esses atributos torna-se impossível atingir a alma do livro.
e) No final do texto em questão, o autor praticamente afirma que uma análise conscienciosa, solícita e verdadeira torna-se também uma obra de arte.



resposta:[C]

vestibular Unesp1990
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Leia o fragmento textual de Fernando Pessoa e assinale a alternativa CORRETA.

"A obra de arte, fundamentalmente, consiste numa interpretação objetivada duma impressão subjetiva. Difere, assim, da ciência, que é uma interpretação subjetiva de uma impressão objetiva, e da filosofia, que é, ou procura ser, uma interpretação objetivada de uma impressão objetiva.
A ciência procura as leis particulares das cousas - isto é, aquelas leis que regem os assuntos ou objetos que pertencem àquele tipo de cousas que se estão observando. A ciência é uma subjetivação, porque é uma conclusão que se tira de determinado número de fenômenos. A ciência é uma cousa real e, dentro dos seus limites, certa, por que é uma subjetivação de uma impressão objetiva, e é, assim, um equilíbrio."
(PESSOA, F. Trecho de "A Obra de Arte: Critérios a que Obedece". In: OBRAS EM PROSA. vol. único, Rio de Janeiro, Aguilar, 1974, p. 127)

a) A subjetividade impressiva do artista é resultante de uma interpretação objetiva que conduz à obra de arte.
b) Muitas vezes, a ciência busca leis particulares das coisas e por isso as torna subjetivas, valendo como verdadeiras.
c) Ao caráter ilusório da Arte contrapõe-se a realidade da Ciência e nisso, segundo o texto reside o equilíbrio das coisas.
d) A arte obedece a três critérios fundamentais: impressão, interpretação e busca de objetividade; enquanto a ciência obedece aos seguintes: seleção, observação e análise dos fenômenos.
e) Os limites do método científico não interferem no caráter real da ciência que é sempre certa, equilibrada e reveladora da subjetividade das coisas e dos seres.



resposta:[D]

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Neste fragmento, Camilo Castelo Branco rememora uma curiosa história que ouviu na prisão. Releia o texto apresentado e, a seguir, aponte:
a) os motivos pelos quais Almeida e Manuel Caetano fugiram;
b) os captores de ambos.



resposta:a) Almeida temeu ser confundido com os salteadores e Manuel Caetano temeu ser chamado como testemunha da tentativa de roubo.
b) A guarda do Banco e os vizinhos do senhor Lobo.

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O poema-canção "Pra que Mentir?" foi escrito por Noel Rosa em 1934, em parceria com o compositor paulista Osvaldo Gogliano, o Vadico. A recepção deste texto, quando observado isoladamente, comporta algumas leituras e interpretações bem particulares.
Caetano Veloso deu a ele a sua interpretação e, em 1982, compôs "Dom de Iludir", estabelecendo uma imaginária correlação dialogal com o poema de Noel. Partindo destes pressupostos,
a) indique esta correlação;
b) explique como se processa a correlação, mediante conceito de "discurso direto".



resposta:a) Em "Pra que mentir?" o eu lírico masculino fala para uma mulher que é contemplada como eu lírico em "Dom de iludir", num suposto diálogo.
b) Em ambos os textos esses personagens dão vazão a seus discursos sem mediação de um narrador.